Por que a qualidade de software é essencial na transformação digital

Basta procurar no Google, participar de eventos do mercado digital ou ler blogs de TI para perceber: transformação digital é o tema do momento. Os profissionais parecem concordar que é preciso mudar a forma como os negócios se relacionam com a tecnologia. Mas será que eles já sabem como fazer isso?

Na ânsia de entrar na “moda”, algumas empresas entendem que é só adquirir softwares de gestão e automação. Pronto: está feita a transformação digital!

Seria bom se fosse fácil assim, não é? Mas o conceito propõe uma profunda transformação para colocar a tecnologia como ponto central da estrutura organizacional. Segundo a Forrester, transformação digital é o aproveitamento dos ativos digitais para continuamente oferecer melhores resultados aos clientes e, ao mesmo tempo, aumentar a agilidade operacional. Não é apenas uma ferramenta, um canal, nem um projeto com início e fim: é um constante estado de movimento para construir um modelo de negócios totalmente diferente, que coloque a tecnologia no centro.

Isso mexe com as equipes, os processos, a infraestrutura, a comunicação, a cultura empresarial e ― talvez o mais difícil de transformar ― a mentalidade das pessoas. Por isso, esse processo não se limita a apenas algumas medidas rápidas, nem se restringe à infraestrutura de TI. A mudança é mais profunda e deve ser conduzida de olho na qualidade dos processos para produzir os melhores resultados. É sobre isso, então, que vou falar neste artigo.

Transformação digital é um caminho sem volta

Não se pode mais fechar os olhos: a transformação digital é uma necessidade para qualquer empresa que queira se manter competitiva.

Não sou eu que estou dizendo isso ― é o seu próprio cliente, o mercado e os colaboradores da sua empresa. Na sua rotina, as pessoas já absorveram naturalmente a tecnologia. Afinal, o celular está sempre no bolso para consultar qualquer informação ou usar as redes sociais. Para comprar um produto, o consumidor já nem vai mais ao shopping, já que toda a jornada de compra pode ser feita online.

A transformação digital já está acontecendo no dia a dia das pessoas. Mas, se é tão natural para elas, por que isso ainda não acontece nos negócios?

Ainda existem muitas empresas que sequer sabem o que é armazenamento em nuvem ou big data, por exemplo. Transformação digital, então, ainda é algo muito distante. Em uma pesquisa da Salesforce, 69% dos profissionais respondentes não se sentiam confiantes para explicar o significado desse conceito.

Em geral, essas empresas estão presas às práticas tradicionais do mercado, com dificuldade de sair da inércia. Este artigo da Harvard Business Review mostra por que a transformação digital é vista como uma ameaça às práticas de gestão que são utilizadas há décadas. De modo geral, é mais fácil e cômodo continuar do jeito do que está.

Porém, quem não acompanha as mudanças sociais e tecnológicas fica para trás. As empresas precisam atender aos novos comportamentos dos consumidores, que são cada vez mais exigentes. Eles querem agilidade, mobilidade, praticidade, transparência e experiências valiosas com as marcas. Se você não oferece isso, talvez o seu concorrente ofereça.

Portanto, reinventar-se é preciso.

O papel da gestão da qualidade na transformação digital

Como, então, conduzir esse processo de profunda transformação com eficiência? Não vou negar que pode ser demorado e trabalhoso. Por isso, é preciso ter cuidado e paciência para promover as mudanças sem perder o foco na qualidade.

Muitas empresas, no entanto, focam apenas na infraestrutura de TI, enquanto a gestão da qualidade deveria andar junto nesse processo, como um suporte essencial para garantir a melhor experiência ao cliente. Então, vamos entender o papel de cada uma nesse processo.

Infraestrutura de TI é essencial, mas não é suficiente

É inevitável que, quando se fala em tecnologia, os olhares se voltem para a infraestrutura de TI. Por isso, a transformação digital geralmente é um processo encabeçado por essa equipe.

Faz sentido: essa é a área responsável pela base que viabiliza as operações da empresa no âmbito da tecnologia. A infraestrutura de TI lida com hardwares, sistemas operacionais, softwares, gerenciamento de dados e armazenamento, redes de computadores e sistemas integrados.

Ela está lá para garantir estabilidade e segurança às operações e solucionar problemas, tanto para o cliente interno (colaboradores) quanto externo (consumidores). E essa infraestrutura é essencial para que a transformação digital aconteça, já que a tecnologia será central para o negócio.

No entanto, a transformação digital na infraestrutura é só o começo. Um processo de transformação digital que se limita à infraestrutura de TI fica muito aquém do seu potencial. As inovações tecnológicas, por si só, não produzirão grandes resultados sem transformar os processos que as acompanham.

E, para transformar processos, é preciso também transformar quem faz parte deles. Como dizem alguns especialistas, transformação digital não é exatamente sobre tecnologia, e sim sobre pessoas. Este é o grande desafio dos líderes da transformação de um negócio: colocar a tecnologia no centro, mas as pessoas em primeiro lugar.

Gestão da qualidade direciona o foco para a experiência do cliente

Enquanto a transformação digital olhar somente para a tecnologia, não produzirá os resultados esperados. Portanto, em parceria com a infraestrutura de TI, a área de gestão da qualidade das empresas também deve ter um papel de destaque nesse processo.

É essa área que direciona o foco para o objetivo final de toda transformação digital: melhorar a experiência dos consumidores. E já vimos como o consumidor atual mudou nos últimos anos e se tornou exigente.

Então, nessa grande transformação de tecnologias, processos e pessoas, os times de Quality Assurance (QA) também precisam mudar. Se antes essa área trabalhava com base em requisitos e padrões de qualidade em mente, agora ela precisa se concentrar mais nas expectativas dos usuários ― e, ainda, promover essa visão em todos os níveis da empresa.

Na criação de softwares e aplicativos, então, as equipes de QA devem estar envolvidas com os projetos desde o seu início para, de acordo com o que o cliente espera, manter a qualidade durante todo o processo de desenvolvimento. Avaliações de performance, usabilidade, acessibilidade e segurança, que são críticas para o sucesso, devem ser incorporados em todos os estágios do ciclo de desenvolvimento.

Portanto, a gestão da qualidade é responsável por trazer o olhar do consumidor para os processos das empresas. Desde o início, o foco deve estar nos resultados, naquilo que o negócio entrega aos usuários e que deve proporcionar a melhor experiência a eles. É isso que os consumidores esperam, e é essa cultura ― não só a tecnologia ― que você deve transformar.

Assim, enquanto a área de infraestrutura de TI possibilita as inovações tecnológicas da transformação digital, a gestão da qualidade promove a visão do cliente em todo o ciclo do produto para responder aos desafios colocados pelas novas tecnologias. Então, as mudanças de infraestrutura ganham o suporte da área de qualidade para realizar uma verdadeira transformação, com impacto positivo para o negócio.

Comece a transformar o seu negócio

Percebe como a transformação digital mexe com as estruturas das empresas? Não é apenas uma questão de recursos tecnológicos ― é também de cultura, mentalidade e processos internos. Por isso, o ideal é já começar a investir nas mudanças, pois elas não acontecem da noite para o dia.

Muito mais que uma expressão da moda, transformação digital é um caminho sem volta. Se você ainda não sentiu necessidade de se adaptar, em breve o mercado fará essa exigência.